Share/Bookmark

Gastronomia de Portugal

No comment yet
A cozinha portuguesa é excelente, econômica e abundante, ademais, está acompanhada de caldos muito saborosos e a estandardização ainda não tem se imposto.

Na Costa Azul (o de Lisboa) podemos distinguir dos variantes gastronômicas: o litoral, onde predominam os pratos de peixe e frutos do mar, e no interior com a característica gastronomia alentejana. O peixe guisado à marinheira e as angulas guisadas, a sopa de peixe e a sopa de tamboril com poleos, espécie de marisco, e os jureles assados são algumas das especialidades mais conhecidas. Na zona alentejana não se deve esquecer as migas com carne de porco, a espécie de sopa de alho alentejana, o coelho frito ou o pé de porco ao forno. Em confeitaria destacam as pinhonatas da região de Alcácer, os doces de laranja de Setúbal e as pêras cozidas em vinho moscatel de Palmela. Sem esquecer o queijo de ovelha de Aceitão e os vinhos de Palmela, que possuem fama internacional.

Na Costa de Prata é típica a lagosta suada, as apetitosas caldeiradas, angulas ao escabeche, sardinhas assadas e peixe fresco de Peniche. Em carnes, o leitão da Barriada (cochinillo assado), ou o frango na púcara (pollo cozinhado na olla de barro). Os vinhos mais conhecidos são os de Bucaso ou Bairrada. Como sobremesa podemos tomar os doces de ovos de Aveiro, ou as cavacas de Caldas da Rainha.

Na Costa Verde pode-se começar com um caldo verde (sopa de repollo e salchichas), seguido de peixe fresco e de um prato de tripas de porco. O pudding de arroz e o pão de ló (bizcocho) com Porto, um dos melhores vinhos nacionais, são alguns dos possíveis sobremesas. Para acompanhar sua comida pode-se provar o fresco e ligeiramente espumoso vinho verde.

Nas Planícies, em outono é digna de ser visitada a Feiras Gastronômicas de Santarém, onde encontrará especialidades trazidas de todas as partes do país. Nesta região, para degustar a fundo o exotismo da cozinha portuguesa, se deve provar o porco com mariscos. Ali poderemos provar diferentes tipos de salchichas, lombo de porco e a caça, assim como os famosos bolos monásticos feitos com ovos. O queijo de Serpa e seu delicioso pão, regado com os vinhos tintos de Cartaxo e Almeirim, Redondo, Reguengos ou Vidigueira são excelentes acompanhamentos.

No Algarve uma das especialidades mais conhecidas é a "cataplana de mariscos", cozidos numa panela especial, outra, as sardinhas assadas. Todo o podemos acompanhar com doces de amêndoas e figos e os magníficos vinhos de Lagos, Lagoa e Tavira.

Nas Montanhas deve-se provar as "Alheiras de Mirandela" (salchichas de frango), o "presunto" (jamóm curado) de Chaves e o conhecido queijo da Serra. Este queijo de montanha se faz com a leite de cabra e de ovelha; é gorduroso, untuoso, que se consume principalmente entre outubro e maio. Além do famoso vinho do porto, deve saborear os vinhos maduros do Dão.

Em Madeira pode-se degustar um prato de carne servido num espeto de laurel ou um filete de atum com cereais fritos, o peixe espada, mariscos, bogavante, não esquecendo um bolo de caco e mel e um cálice do famoso vinho da ilha.

Nas Açores a cozinha é muito variada. É aconselhável provar um "cozido das furnas" (cozido feito com o calor do fogo) ou o "alcatra à moda de Terceira" (prato de carne) sem esquecer os peixes e os saborosos mariscos: lagosta, percebes, "cavaco", "cracas", etc. São vários os queijos da região, o saboroso queijo da Ilha do Pico ou o da Ilha de São Jorge. Para terminar, nomear as doces e deliciosas pinhas da Ilha de São Miguel e os vinhos de Pico e "verdelho".

Vinhos Portugueses
Os vinhos portugueses merecem um apartado especial. São conhecidos em todo o mundo pela sua ampla gama e excelente qualidade de caldos, que refletem a variedade de seus microclimas.

No noroeste, região do conhecido e refrescante "vinho verde", um bom vinho de mesa que acompanha muito bem aos mariscos e cujas vinhas se cultivam segundo o método tradicional "suspendidas" e apoiadas em pérgolas, ao leste, o Rio Douro marca uma das zonas vinícolas mais antigas do país, onde se produz o mundialmente famoso Porto, vinho rico e forte quando é jovem ("blends", feitos com sabias combinações), e suave e sedoso quando envelhece, o conhecido "vintage". O Porto repousa em Vila Nova de Gaia, localidade que vale a pena ser visitada para degustar, grátis, os caldos. Também se produzem nas cercanias do Douro vinhos branco e tintos. Na região do Dão (entre Coimbra, Viseu e Guarda), ao sul do rio, se produz o melhor vinho de mesa do país: vinhos tintos e fortes que são o acompanhamento ideal para uma boa comida típica.

As zonas rurais próximos a Lisboa elaboram alguns dos vinhos lusos mais conhecidos. Em Bucelas se produz um branco rico e suave e em Colares, perante a proximidade da costa, as vinhas crescem em terreno arenoso matizando os sabores.

No sul destacam os vinhos de Setúbal, vinho forte e doce e os de Serra Arrábida, bons amigos dos mariscos. Em Planícies, sobressaem Borda, Redondo, Vidigueira, Portalegre, Évora, Moura e Reguengos, caracterizados pelo calor do sul. Os vinhos do Algarve, quase todos tintos, são em geral suaves e aromáticos.

Não é possível esquecer-se dos importantes caldos de Madeira. O clima e o solo vulcânico proporcionam condições únicas para a produção de vinhos fortes e ricos, entre os que destacam o malvasia, doce, vermelho, escuro e perfumado; o boal, doce, mas mais seco e leve; o verdelho, semi-seco, pode servir para acompanhar toda uma comida; e o sercial, seco, ambarino e forte, é o perfeito madeira de aperitivo.

Nas Açores, o vinho aperitivo de Pico, o verdelho de Biscoitos e o "vinho de cheiro" dominam a mesa. Também é comum a aguardente.


O regime alimentar básico é constituído por peixe, carne, vegetais e fruta.

Apesar de as águas em Portugal serem ricas em peixe fresco, o prato nacional continua a ser o bacalhau seco e salgado, que é muitas das vezes importado. Em alguns países, na altura do Natal, o prato tradicional é o peru, ao passo que em Portugal se come bacalhau cozido, com grão, batatas e couves cozidas e regado com azeite.

É normal que em muitas zonas seja pouco frequente o consumo de carne, apesar do Alentejo ser conhecido pelos seus derivados de porco e Trás-os-Montes, pelas suas carnes curadas.

O pão e os doces - um dos últimos legados da ocupação dos Mouros - apresentam-se numa multiplicidade de formas e especialidades regionais, tais como os Dom Rodrigos do Algarve.

O vinho é a bebida de eleição dos portugueses às refeições.

Postar um comentário

Followers

Google+ Followers

HOME | ABOUT

Copyright © 2011 igvarekai | Powered by BLOGGER | Template by 54BLOGGER