Share

Archive for Dezembro 2013

INGREDIENTES

800 g de bacalhau
1 cebola média picada
3 dentes de alho picados
3 colheres das de sopa de azeite
2 pimentões vermelhos médios cortados em tiras
1 pimentão verde médio cortado em tiras
3 colheres das de sopa de vinho branco seco
2 xícaras das de chá de arroz branco cozido
1/2 xícara das de chá de azeitona preta em rodelas


MODO DE PREPARO

Um dia antes, lave bem o bacalhau e coloque-o sobre uma peneira mergulhado em água dentro de uma tigela, sem contato com o fundo. Deixe na geladeira e troque a água pelo menos quatro vezes. Na hora do preparo, escorra bem, cubra com água fervente e deixe descansar por 20 minutos. Retire a pele e as espinhas e desfie em lascas. Numa panela, em fogo baixo, refogue a cebola e o alho no azeite, junte os dois tipos de pimentão e cozinhe por um minuto. Acrescente o bacalhau e cozinhe por cinco minutos. Ponha o vinho e cozinhe por mais dez minutos. Junte o arroz ao bacalhau. Ponha azeitona e sirva.
Arroz com bacalhau e pimentão Full View

Se estima que as primeiras povoações da Abecásia remontem ao quarto milênio a.C.. Estas primeiras tribos, de origem ariana (conhecidas pelos arqueólogos como "proto-kartvelianos"), teriam chegado à região durante o período Neolítico da Pré-História, assentando-se nas costas do mar Negro. Estabeleceram-se junto a outras linhagens, que posteriormente evoluiriam até convertir-se nos apsuas, chechenos, daguestanis, armênios e arameus.
Desde o segundo milênio a.C. a região foi assolada por invasões de povos provenientes das estepes da Ásia Central, como os hititas, celtas, medos e persas. Durante estes anos, os proto-kartvelianos se dividiram três grupos étnicos bem diferenciados: os svans, os zans e os kartvelianos orientais. Enquanto os svans permaneceram na Abecásia, os kartvelianos se assentaram no centro da atual Geórgia, enquanto os zans se distribuíram na província de Samegrelo e ao longo das costas do mar Negro, até às imediações da Turquia. A capital é Sukhumi.
Abecásia Full View

A Abecásia ou Abecázia1 (também chamada de Abcásia ou Abkházia; em abecásio: Аҧсны, transl. Aphsny; em georgiano: აფხაზეთი, transl. Apkhazeti; em russo: Абхазия, transl. Abkhaziya) é uma região no Cáucaso, uma república autônoma de jure no norte da Geórgia que pleiteia independência, tendo-a declarado após a guerra civil em 1992-1993 que arruinou a economia local e matou milhares de civis. Permanece em grande medida de fato independente da Geórgia e mantém controle sobre grande parte do seu território, embora não seja reconhecida internacionalmente. Sua capital é Sukhumi.

O status da Abecásia é uma questão central do conflito entre a Geórgia e a Abecásia. Toda a região fazia parte da União Soviética até 1991.Como a União Soviética começou a desintegrar-se no final da década de 1980, cresceram as tensões étnicas entre abecásios e georgianos com os movimentos para a independência da Geórgia. Isto levou à guerra de 1992-1993 na Abecásia, que resultou em uma derrota militar georgiana, a independência de facto da Abecásia, da fuga em massa e limpeza étnica da população georgiana na Abecásia. Apesar do acordo de cessar-fogo de 1994, e anos de negociações, a disputa de status não foi resolvida, e apesar da presença a longo prazo de uma força de acompanhamento das Nações Unidas e uma operação de paz da CEI coordenada pela Rússia, o conflito voltou a deflagrar em vários ocasiões. Em agosto de 2008, os dois lados novamente se enfrentaram durante a guerra na Ossétia do Sul, que foi seguido pelo reconhecimento formal da Abecásia pela Rússia, a anulação do acordo de cessar-fogo de 1994 e o término das missões da ONU e da CEI.

História
Ver artigo principal: História da Abecásia
Se estima que as primeiras povoações da Abecásia remontem ao quarto milênio a.C.. Estas primeiras tribos, de origem ariana (conhecidas pelos arqueólogos como "proto-kartvelianos"), teriam chegado à região durante o período Neolítico da Pré-História, assentando-se nas costas do mar Negro. Estabeleceram-se junto a outras linhagens, que posteriormente evoluiriam até convertir-se nos apsuas, chechenos, daguestanis, armênios e arameus.
Desde o segundo milênio a.C. a região foi assolada por invasões de povos provenientes das estepes da Ásia Central, como os hititas, celtas, medos e persas. Durante estes anos, os proto-kartvelianos se dividiram três grupos étnicos bem diferenciados: os svans, os zans e os kartvelianos orientais. Enquanto os svans permaneceram na Abecásia, os kartvelianos se assentaram no centro da atual Geórgia, enquanto os zans se distribuíram na província de Samegrelo e ao longo das costas do mar Negro, até às imediações da Turquia.

Reino da Cólquida
Entre os séculos IX e VI a.C., foi instaurado na região o reino da Cólquida, que anexou grande parte das zonas que eram habitadas pelos svans e zans. Sob a dominação cólquida, a Abecásia recebeu um grande número de imigrantes gregos, que se estabeleceram em colônias na zona costeira. Algumas das cidades fundadas foram Pitiys, Dioscurias e Phasis, correspondentes às atuais Pitsunda, Sujumi e Poti.
Desde o ano 653 a.C. os reinos caucásicos da Cólquida e da Ibéria tiveram de enfrentar diversas tentativas de invasão por parte do Império Aquemênida. O Império Macedónio de Alexandre, o Grande exerceu uma importante influência na zona do Cáucaso, embora ela nunca tenha sido incorporada a ele. Rapidamente produziu-se um surgimento da cultura helenística em território abecásio, e o grego passou a ser considerado o idioma oficial.

Com o fim do império de Alexandre, a região viveu um período de caos e distúrbios. Um exemplo foi a fundação, no ano de 302 a.C., por parte de Mitrídates I, do reino do Ponto, nas costas turcas do mar Negro. No início do ano 120 a.C. o rei Mitrídates IV Eupator iniciou a conquista da Cólquida, aliando-se com o reino da Grande Armênia para lutar contra o invasor romano, liderado por Pompeu, o Grande. As terras da Abecásia seriam cenário de batalhas ferozes até a queda definitiva do Ponto para as conquistadores romanos em 63 a.C..

Lázica
Ruínas de antigo castelo em Anacópia, capital abecásia durante a época bizantina.
O devastado reino da Cólquida caiu então sob a dominação romana, convertendo-se na província de Lázica. O processo de helenização que havia começado desde a chegada de Alexandre, o Grande, foi aprofundado durante estes anos. Apesar da luta ferrenha entre romanos e partos pelo controle da região, a Lázica se manteve florescente e em relativa paz, a despeito de algumas incursões militares dos partos desde o lado oriental.

Já como parte do Império Romano do Oriente, no século III, a Lázica começou a obter certo grau de autonomia, que levou ao estabelecimento dum reino independente, composto pelos principados de Zans, Svans, Apsyls e Sanyghs. A expansão do cristianismo durante estes anos foi importantíssima; a religião havia chegado ao território abcásio com as viagens missionários do apóstolo Simão, o Cananeu, que fora martirizado nas serras próximas à cidade de Suaniri. No ano de 523 o cristianismo ortodoxo foi declarado a religião oficial do país, e São Jorge foi designado seu padroeiro.

Depois de vários anos de auto-governo, a Abecásia foi reincorporada ao Império Bizantino na Guerra Lázica em 562, e viveu um período de relativa paz e prosperidade durante mais de 150 anos.

Foi um reino independente entre 730 e 1578, quando foi incorporada ao Império Otomano. Em 1810 tornou-se um protetorado russo, sendo formalmente anexada em 1864. Proclamou a sua independência em 8 de março de 1918, mas foi anexada à República Socialista Soviética da Geórgia em 19 de abril daquele ano. Em 1921 tornou-se uma república socialista soviética autônoma, como parte da República Socialista Soviética da Geórgia.

Após a dissolução da União Soviética, um movimento separatista na região levou à declaração de independência da Geórgia em 1992, e ao conflito georgiano-abecásio de 1992 a 1993, o qual resultou na derrota militar da Geórgia e ao êxodo em massa, e da limpeza étnica da população georgiana da Abecásia.[carece de fontes] Apesar do acordo de cessar-fogo de 1994 e das operações de manutenção de paz lideradas pela ONU e nomeadamente pela Rússia, a disputa de soberania não foi ainda resolvida e a região permanece dividida entre as duas autoridades rivais. 83% do território abecásio é governado pelo governo separatista, apoiado pela Rússia, e 17% pelo governo da República Autónoma da Abecásia, reconhecido pela Geórgia, sediado no vale de Kodori, parte da Alta Abecásia controlada pela Geórgia. Esta disputa mantém-se como fonte de séria tensão nas relações entre a Geórgia e a Rússia.
Em 26 de agosto de 2008, o presidente russo, Dmitri Medvedev, anunciou que a Rússia reconhecia a independência das regiões separatistas georgianas da Ossétia do Sul e da Abecásia e pediu que outros Estados seguissem seu exemplo e façam o mesmo
Curiosidades da Abecásia (Аҧсны,) Full View

Em russo, a palavra "ostro" significa apimentado. A palavra "apimentado" em inglês significa algo temperado com pimenta verde ou com pimenta vermelha em pó. Enquanto em russo essa palavra descreve não só comida com pimenta, mas também com alho cru, rabanete-de-cavalo ou vinagre.
Um dos molhos mais populares utilizado como complemento aos pratos russos, depois da maionese e da mostarda, é o adjika. Trata-se de um molho bastante picante à base de tomate, temperado com alho, pimenta vermelha e ervas. Como você pode notar pelo nome, a origem não é russa. Ele vem da região do Cáucaso chamada Abecásia (república autônoma no noroeste da Geórgia que declarou independência em 2008). A palavra adjika vem da palavra sal em abecásio.
Nas vilas distantes nas montanhas da Abecásia, velhinhas moem temperos para o adjika numa pedra. O sabor é divino, já que as ervas são secas no ar fresco das montanhas da região e depois moídas à mão. Não é fácil perceber o que compõe o sabor original desse molho. Eles dizem conter pimenta, coentro, manjericão, aipo, endro, alho, óleo de noz, açafrão, sal e água.
O sabor original do adjika é diferente do que tem na Rússia. Pratos tendem a mudar de acordo com o paladar de certo país.

Adjika

INGREDIENTES

Rende cerca de 2,5 litros de molho, mas você pode diminuir a quantidade e usar uma panela de pressão para economizar tempo.
1,7 kg de tomate
250 g de pimentão
250 g de cenoura
150 g de cebola
100 g de alho
Pimenta a gosto
50 ml de óleo
100 ml de vinagre
1/4 de xícara das de chá de açúcar
1/8 de xícara das de chá de sal (ou uma colher de chá)
Ervas a gosto (orégano, tomilho ou coentro)

MODO DE PREPARO

Lave os tomates, o pimentão e a cebola; bata no liquidificador. A cor do molho deve ser vermelho vivo. Estamos usando pimentão vermelho. Na índia, pimentão vermelho não é facilmente encontrado ou é muito caro. Quando usamos pimentão verde, a cor do molho será mais clara, mais próximo do laranja.
Ferva a mistura e cozinhe por 30 minutos; adicione alho picado, pimenta, açúcar, temperos e sal e cozinhe por mais 1 hora.
Adicione óleo e vinagre.

O adjika está pronto para ser engarrafado. Você pode mantê-lo na geladeira por muitos meses. Esse molho é excelente para pratos grelhados não vegetarianos, como molho para vegetais, salgadinhos industrializados ou bolinhos de massa.
Adjika, molho das montanhas da Abecásia Full View

INGREDIENTES

Cuca
1/2 kg de farinha de trigo,
1 tablete de fermento para pão  (biológico) (15g)
150 g de açúcar
65 g de manteiga mole
65 g de banha
3 ovos
1 pitada de sal
casca ralada de um limão
uma pitada de noz moscada ralada

Streusel
1 xícara de farinha de trigo
4 colheres de açúcar
1 colher de canela em pó
2 colheres de manteiga

MODO DE PREPARO

Cuca
Fazer um buraco no meio da farinha, dissolver ali dentro o fermento com uma colher de açúcar e um pouco de água morna. Deixar levedar por 20 minutos. Misturar muito bem os ovos com o açúcar e o resto dos ingredientes. Sovar na batedeira por pelo menos oito minutos e deixar crescer até dobrar de volume.
Colocar em uma forma grande ou duas pequenas e deixar crescer mais uma vez. Antes de levar ao forno, pincelar com uma gema e uma colher de leite e colocar por cima o seguinte Streusel:

Streusel
Com os dedos, fazer uma farofa com todos os ingredientes.
Cuca colonial Full View

INGREDIENTES

1 kg de carne macia cortada em bifes
3 dentes de alho esmagados
orégano, sal e salsinha á gosto
500 g de farinha de trigo
4 ovos batidos
500 g de farinha de rosca


MODO DE PREPARO

Temperar os bifes com alho, orégano, sal e salsinha e, passá-los, primeiramente, na farinha de trigo, dê umas batidinhas, depois nos ovos batidos, e só então na farinha de rosca, dê uma apertadinha.Se quiser uma casquinha mais grossa passe novamente no ovo e na farinha de rosca, dê uma apertadinha. Frite no óleo bem quentes e vire os bifes somente quando formar uma casca bem firme e dourada.
Bife empanado Full View

INGREDIENTES

2 Kassler (carré de porco defumado) ou 1 Eisbein (joelho de porco defumado)
1 lata ou vidro de chucrute (cerca de 500 g)
2 folhas de louro
3 fatias de abacaxi em calda doce
pode se utilizar pimenta em bolas ou zimbro.

MODO DE PREPARO

Junte todos os ingredientes em uma panela com um pouco de água, tampe, leve ao fogo médio por aproximadamente uma hora ou até que a carne se desprenda do osso. Sirva com batatas inteiras, cozidas com pele e só descascadas na hora de servir, ainda quentes. Acrescente uma boa mostarda e uma cerveja bem brasileira.
Kassler ou Eisbein com chucrute Full View

INGREDIENTES

300 g Mehl (300 g farinha de trigo)
1/2 Würfel Hefe, frische (1/2 cubo de fermento fresco)
60 ml Milch, lauwarm (60 ml de leite morno)
60 g Zucker (60 g de açúcar)
70 g Butter, weich (70 g de manteiga em temperatura ambiente)
1 Ei(er) (1 ovo)
250 g Quark (250 g de algum queijo leve, como ricota ou queijo minas, em temperatura ambiente)
1/2 Tee Löffeln Zitrone(n) - Schale, (1/2 colher das de chá de casca de limão ralada)
1/2 TL Salz (1/2 colher das de chá de sal)
200 g Rosinen (200 g de uva passa)
1 Ei(er), davon das Eigelb (1 ovo com a gema à parte)
40 g Mandeln, gehobelt (40 g de amêndoas raladas)
Frutas cristalizadas, amêndoas e nozes, chocolate picado

Zubereitung

Zerbröckelte Hefe mit 1 TL Zucker in der lauwarmen Milch auflösen. Zwei Drittel des gesiebten Mehles in eine Schüssel geben, eine Mulde hineindrücken, die Hefemilch hineingießen und mit Mehl bedecken. 15 min zugedeckt gehen lassen.
Zucker, weiche Butter, zimmerwarmen abgetropften Quark, Ei, Zitronenschale und Salz am Rand um die Hefemulde verteilen. Alles mit dem Rührlöffel oder Knethaken der Maschine kräftig verrühren, bis der Teig Blasen schlägt und sich von der Schüssel löst. Das restliche Mehl unterkneten, so dass ein glatter Teig entsteht, zuletzt die Trockenfrüchte und Mandeln oder Nüsse.
Abgedeckt am warmen Ort aufgehen lassen, bis das Volumen sich verdoppelt (45 - 60 min).
Teig in drei Teile teilen, zu ca. 40 cm langen Rollen formen und zum Zopf flechten, diesen nach Belieben auch noch zum Kranz zusammenlegen und auf ein mit Backpapier belegtes Blech legen.
Nochmals ca. 20 - 30 min gehen lassen, bis er sich verdoppelt. Dann mit verquirltem Eigelb bestreichen und mit Mandelblättern bestreuen. Im vorgeheizten Ofen bei 200 Grad auf der 2. Schiene von unten 30 - 40 min backen, evtl. Mit Pergamentpapier abdecken.


MODO DE PREPARO

Dissolva o fermento em 1 colher das de chá de leite morno. Coloque dois terços da farinha peneirada em uma tigela, despeje a mistura com o leite morno, e cubra com a farinha. Cubra a massa e deixe descansar por 15 minutos.
Junte o açúcar, a manteiga, o queijo, o ovo, a casca de limão e o sal à mistura de farinha e fermento. Bata tudo na batedeira, até que a massa descole da tigela. Sove a mistura com o restante da farinha de trigo, até formar uma massa lisa. Adicione as frutas secas e cristalizadas. Deixe descansar em um lugar quente, numa vasilha fechada até dobrar de volume (entre 45 e 60 min).
Divida a massa em três pedaços, no formato de rolos de aproximadamente 40 cm de comprimento, trabalhe a massa em formato de trança ou de coroa, e coloque-a em uma forma coberta com papel manteiga.
Deixar descansar novamente entre 20 e 30 minutos, até que a massa dobre de volume. Misture uma gema de ovo com manteiga e pincele a massa. Polvilhe toda a trança com amêndoas raladas. Asse à temperatura de 200 graus entre 30 e 40 minutos.
Osterzopf (Trança de Páscoa) Full View

INGREDIENTES

Massa
100 g de margarina
2 ovos
2 e 1/2 xícaras das de chá de farinha de trigo

Creme
250 g de cream cheese
1 lata de leite condensado
1 colher das de sopa de gelatina em pó sem sabor

Cobertura
700 g de polpa de cupuaçu congelada
3 xícaras das de chá de açúcar

MODO DE PREPARO

Massa
Na batedeira, bata a margarina e os ovos até obter uma mistura esbranquiçada. Acrescente aos poucos a farinha e trabalhe a massa até ficar lisa. Embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por 15 minutos. Abra a massa e forre o fundo e as laterais de uma forma de 23 cm de diâmetro, com fundo removível, untada com margarina. Fure a massa com um garfo e leve ao forno preaquecido a 220ºC e asse por 25 minutos. Reserve.

Creme
No liquidificador, bata o cream cheese, o leite condensado e misture a gelatina preparada de acordo com as instruções da embalagem. Despeje o creme sobre a torta e leve à geladeira.

Cobertura
Em uma panela coloque a polpa de cupuaçu e o açúcar. Leve ao fogo e cozinhe por 50 minutos em fogo brando, mexendo de vez em quando até forma uma geléia. Deixe esfriar e distribua sobre o cheese cake. Sirva gelado.

Dica: Se quiser, substitua o cream cheese por ricota.
Cheesecake de cupuaçu Full View

INGREDIENTES

1 kg de costela de vaca cortada em pedaços pequenos
2 cebolas médias picadas
4 dentes de alho amassados
sal e pimenta-do-reino a gosto
2 colheres das de sopa de óleo
5 tomates sem sementes picados
1 colher das de sopa de vinagre
1 maço de salsa picado
3 cebolinhas verdes picadas
1 kg de mandioca descascada e cortada em pedaços


MODO DE PREPARO

Tempere a costela de vaca em pedaços com a cebola, o alho amassado, sal e pimenta-do-reino. Frite-a no óleo por alguns minutos até dourar. Junte o tomate sem sementes picado, o vinagre, a salsa, a cebolinha verde e água até cobrir a costela. Cozinhe até a carne ficar macia. Acrescente a mandioca descascada em pedaços e água suficiente para cozinhá-la até amaciar. Deverá ficar um creme grosso com a costela "atolada" nele.

Dica: para acompanhar, sirva com arroz branco.
Vaca atolada Full View


Comer "peixinho frito" é tanto uma parte da vida diária em Sevilha, como o cheiro de azahar (flor de laranjeira) no início da primavera.

Platters de peixinho frito pode ser desfrutado em qualquer época do ano nos restaurantes, bares e lojas friedurías (peixe frito) de Sevilha. De fato, em freidurías você pode comprar peixe frito por quilo.

A preparação de peixinho frito é muito simples.

Pegue o peixe de sua escolha, bata-a com farinha e frite-o em abundante azeite de oliva espanhol.
E é isso!

Não há lugar melhor para saborear verdadeiramente a "tradição" deste prato deSevilha na noite anterior à abertura da Feira de Abril, quando se encontrar em Sevillanos casetas da feira para lançar o festival com o estômago cheio. Esta festa pré-feira foi dado o nome de El Pescaito.

Boquerones (anchovas), sardinha, calamares (lulas rebozados agredidas frito) .... um potpourri de nomes que, juntos, compõem os pratos irresistíveis de peixinho frito

INGREDIENTES

Camarões, boquerons, chopitos (pequena lula) e lulas a gosto (cerca de 250-300g no total por pessoa), sal, farinha e azeite de oliva
MODO DE PREPARO

Como fazer peixe frito
Pode-se dizer que esta receita de peixe frito é fácil, mas executá-lo corretamente é algo que só começa a praticar, por isso a minha recomendação é que você vai enfrentá-lo com coragem e paciência, pois é muito menos divertido, porque nós temos que limpar Embora todos os peixes , crustáceos e moluscos para comer em seguida, um prazer.

Começamos como a limpeza das anchovas . Use o dedo para abri-los a partir do fundo e removidos todos os intestinos. Eles também cabeça começamos e tomou o backbone. Tudo vai muito fácil, assim como as anchovas são pequenos, alguns pouco que temos à mesa para limpar algumas dezenas.

O seguinte é lula limpa e chocos . Isto é mais fácil: nós remover a caneta (uma espécie de cartilagem transparente que funciona como uma espinha dorsal), boca, olhos e limpe-os bem com água. O lula não podemos cortar em rodelas finas. Finalmente, camarões casca deixando caudas.
Peixe frito - 2


É tempo agora para temporada peixe e prossiga para enharinarlo completamente antes de fritá-lo em azeite e bastante quente, em lotes para ser frio tudo bem e deixando a drenagem de óleo em um prato com papel toalha.
Pescaíto frito Full View

INGREDIENTES

2 colheres das de sopa de salsinha
1 colher das de sopa de vinagre
1 xícara das de chá de água
400 g de carne moída
200 g de lombo moído
50 g de bacon picado
4 fatias de pão de centeio
1 dente de alho picado
sal e pimenta do reino
óleo para fritura
1 cebola picada
1 ovo

MODO DE PREPARO

Colocar o bacon em uma frigideira e levar ao fogo baixo até o bacon estar crocante, acrescentar a cebola e o alho bem picados e refogar até a cebola estar macia. Retirar do fogo, escorrer o excesso de gordura e deixar esfriar. Colocar em uma tigela o vinagre e a água, acrescentar as fatias de pão. Em uma tigela, misturar os dois tipos de carne, a cebola e o bacon refogados, a salsinha, o ovo levemente batido e misturar bem, acrescentar sal e pimenta do reino. Escorrer as fatias de pão e espremer bem, misturar à massa de carne e amassar até obter uma mistura bem homogênea. Fazer bolinhas do tamanho de ping pong e fritar em abundante óleo quente. Escorrer em papel absorvente e servir com salada de batatas e mostarda.
Almôndegas alemãs Full View

A origem desse bolo é que um padeiro fêz o bolo com uma cobertura do mel que atraia uma abelha para evitar que elas picassem o padeiro.  O bolo original teve uma base do fermento que fosse enchida com um creme e recheada com o mel, a manteiga e as amêndoas.

INGREDIENTES:

Massa:
3 colheres das de sopa de manteiga
1 xícara das de chá de açúcar
1 ovo
1 e 1/2 xícaras das de chá de farinha de trigo
3 colheres das de chá de fermento químico em pó
1/2 copo (americano) de leite
Quanto baste de essência de limão

Recheio:
200 g de amêndoas picada
2 colheres das de sopa de manteiga
2 colheres das de sopa de açúcar
1 colher das de sopa de leite

MODO DE PREPARO

Massa:
Bata a manteiga com o açúcar, até formar um creme. Acrescente o ovo e a essência de limão. Continue batendo e adicione a farinha de trigo, aos poucos, alternando com o leite. Por último, junte o fermento. Quando a massa estiver bem cremosa,c oloque-a em uma fôrma redonda de aro removível, untada com manteiga ou margarina e polvilhada com farinha de trigo, reserve.

Recheio:
Junte todos os ingredientes em uma frigideira e leve ao fogo para fritar até ficar dourado. Coloque o recheio quente, sobre a massa crua. Reserve. 

Finalização
Leve a torta para assar em forno médio, por cerca de 35 a 40 minutos em forno 180º, ou até que fique dourado
Bienenstich Full View

INGREDIENTES

1 e 1/4 xícaras das de chá de farinha de trigo
1 colher das de sopa de sal
1 colher das de chá de açúcar
1 e 1/2 colheres das de sopa de azeite
6 e 1/2 colheres das de sopa de água
1/2 xícara das de chá de manteiga sem sal

Recheio
1 cebola roxa média cortada em tiras
1 xícara das de chá de cogumelos cortado em fatias
1 xícara das de chá de shitake picado
1 colher das de sopa de páprica picante ou doce
3 xícaras das de chá de ricota
Sal a gosto
1 colher das de sopa de acúcar
2 xícaras das de chá de toucinho defumado cortado em cubos

Acompanhamento
2 maços de espinafre
2 xícaras das de chá de creme de leite
Sal a gosto

MODO DE PREPARO

Massa
Misture a farinha, o sal e o açúcar em um recipiente. Adicione o azeite e a água. Sove a massa por 10 minutos, cubra com filme de PVC e deixe por 1 hora na geladeira.

Recheio
Derreta a manteiga em uma frigideira e reserve. Misture a cebola, os cogumelos e a páprica em uma tigela. Em outro recipiente, amasse a ricota com um garfo. Adicione o sal e o açúcar. Frite o toucinho por 10 minutos. Misture-o com metade da gordura da frigideira à ricota. Reserve a outra metade. Na mesma panela, junte os cogumelos e refogue por 1 minuto. Reserve.

Montagem
Pegue metade da massa e abra-a bem fina. Coloque-a sobre um pano de prato e espalhe os cogumelos e a ricota por cima. Com o pano de prato, enrole como um rocambole. Pincele com a manteiga derretida. Faça o mesmo com o resto da massa. Leve ao forno preaquecido a 200C por 30 minutos.

Acompanhamento
Cozinhe o creme de leite com o sal por 10 minutos e reserve. Frite o espinafre na gordura do toucinho. Sirva o apfelstrudel com o creme e o espinafre.
Apfelstrudel de cogumelos com creme e espinafre Full View

INGREDIENTES

1 berinjela média
2 colheres das de sopa de óleo
1 cebola pequena picada
100 g cogumelo shitaki
100 g cogumelo paris
1/2 xícara das de chá de água quente
6 medalhões de filé mignon
1/2 xícara das de chá de maionese

Para amarrar: barbante


MODO DE PREPARO

Faça seis fatias finas de berinjela e o restante corte em cubos pequenos. Coloque em uma tigela com água e sal e reserve por 30 minutos. Escorra para retirar toda a água e reserve. Em uma panela média, aqueça uma colher das de sopa de óleo em fogo médio. Doure a cebola. Junte o cogumelo shitaki e o cogumelo paris. Refogue por 5 minutos. Acrescente os cubos da berinjela e a água. Cozinhe em fogo médio mexendo de vez em quando, por 10 minutos, ou até secar e os ingredientes ficarem macios. Reserve. Passe cada fatia de berinjela reservada em volta de cada medalhão. Amarre com o barbante e reserve. Em uma frigideira grande (18 cm de diâmetro), aqueça o restante do óleo em fogo médio. Coloque os medalhões e grelhe virando de vez em quando até ficarem macios. Coloque em uma travessa e reserve.
Acrescente à mistura reservada a maionese  Misture e aqueça em fogo médio, mexendo sempre. Despeje sobre os medalhões reservados e sirva em seguida.

Dicas:
- Variação: se preferir substitua o filé mignon por miolo de alcatra
- Se a berinjela for mais grossa, utilize cada fatia para preparar dois medalhões. Corte cada fatia ao meio na largura de cada medalhão e enrole.
Medalhão de filé com berinjela Full View

INGREDIENTES

2 xícaras das de chá de arroz
2 colheres das de sopa de manteiga ou margarina
1 colher das de sopa de cebola
2 tomates não muito maduros, sem pele e sem sementes
300 ml de água
250 ml de champanhe
sal à gosto
1 colher das de sopa bem cheia de manteiga ou margarina
1 xícara das de chá de amêndoas sem pele
Decoração a gosto


MODO DE PREPARO

Em uma panela derreta a manteiga e doure a cebola. Adicione os tomates e deixe murchar. Acrescente o arroz, o sal e a água quente. Cozinhe até secar a água (cerca de 10 a 11 minutos). A seguir, agregue a champanhe e cozinhe em fogo baixo por mais 10 minutos (até secar). Em uma panela derreta 1 colher sopa de manteiga e passe as amêndoas.

Montagem:
Em um recipiente coloque o arroz, as amêndoas, e as uvas passas brancas (opcional). Mexa para se agregarem. Polvilhe com amêndoas.

Dica para retirar a pele das amêndoas
Ferva um pouco de água e coloque as amêndoas. Cozinhe por cerca de 2 a 3 minutos. A seguir, escorra sobre uma peneira. Retire a pele
Arroz com champanhe e amendôas Full View

INGREDIENTES

1/2 maço de acelga
2 colheres das de sopa de margarina
1 cebola média picada
250 g de lingüiça calabresa cortada em meias rodelas
Sal e pimenta a gosto
400 g de macarrão a seu gosto
Queijo ralado a gosto


MODO DE PREPARO

Lave as folhas de acelga, seque bem e corte em tiras finas. Em uma panela derreta a margarina e doure a cebola. Junte a lingüiça e mexa de vez em quando até fritar por igual. Misture a acelga, tempere com sal e pimenta. Tampe e cozinhe por um minuto no fogo brando. Cozinhe o macarrão em água com sal abundante e fervente. Escorra o macarrão. Misture no refogado, polvilhe o queijo e sirva em seguida.

Dica: Substitua a acelga por couve-manteiga em tiras finas.
Macarrão com acelga e lingüiça Full View

INGREDIENTES

Massa:
1 lata de leite condensado
250 g de ricota
3/4 xícara das de chá de óleo
1/2 xícara das de chá de açúcar
4 gemas
4 claras em neve
2 xícaras das de chá de farinha de trigo
1 colher das de sopa de baunilha
1 colher das de sopa de fermento em pó
Margarina e farinha de trigo para untar

Creme de frutas cristalizadas:
1 e 1/2 xícara das de chá de leite
1/2 xícara das de chá de leite condensado
1 colher das de sopa de amido
200 g de chocolate branco picado
200 g de frutas cristalizadas
3 colheres das de sopa de creme de ricota
1 colher das de sobremesa de essência de panetone

Calda de goiabada:
250 g de goiabada picada
1 caixinha de creme de leite


MODO DE PREPARO

Massa
Bata no liquidificador o leite condensado a ricota, o óleo, o açúcar, as gemas e a baunilha por 5 minutos. Despeje numa tigela e junte a farinha aos poucos, por ultimo junte as claras mexendo delicadamente e a seguir o fermento. Leve ao forno em forma de furo central untada com margarina ou manteiga e polvilhada com farinha de trigo, por aproximadamente 45 minutos, em forno 180º.

Creme de frutas cristalizadas
Leve ao fogo o leite condensado, o leite e o amido, mexendo bem até engrossar retire do fogo acrescente o chocolate branco picado e continue mexendo para que o chocolate derreta, por último junte as frutas cristalizadas, o creme de ricota e a essência de panetone.

Calda de goiabada
Derreta a goiabada picada no banho Maria e a seguir junte o creme de leite, utilize sobre bolo decorando com estrelas feitas de goiabada.

Montagem:
Corte a superfície do bolo retire parte do miolo e recheie com o creme de frutas cristalizadas, a seguir recoloque a tampa, regue com a calda e decore a gosto.
Bolo de ricota de frutas cristalizadas Full View

Cidra, natas frescas, mariscos e moluscos... A Normandia é muito afamada pela sua arte culinário e pelos seus excelentes produtos do campo. Esta preparação utiliza alguns destes ingredientes típicos para preparar um molho que irá servir para cobrir as trutas antes de irem ao forno.
Peixe de rio, da mesma família que o salmão, a truta tem uma carne fina e muito saborosa. Fácil de cozinhar, entra na composição de inúmeras receitas: meunière, em filete com amêndoas, com azedas, ou «à normanda».
Cidra, natas, frutos do mar… A Normandia é muito conhecida pela sua arte culinária e pelos seus magníficos produtos locais. A preparação «à normanda» utiliza alguns ingredientes típicos para confeccionar um molho que cobrirá as trutas antes de irem ao forno, num prato que vá ao forno ou em papillote.
Este molho é feito com chalotas e mexilhões refogados com em vinho branco (cidra, no original), em seguida guarnecidos com natas. As trutas, uma vez cobertas com esta mistura, são salpicadas de cebolas fritas e de salsa antes de ir ao forno. Uma receita perfumada, às vezes complementada com cogumelos, que se saboreia na companhia de um branco seco de Touraine ou de um Vouvray com notas mais complexas.
Preparação: 20 minutos – Cozedura: 30-45 minutos
Para 6 pessoas

INGREDIENTES

6 trutas limpas e arranjadas pela peixaria

Molho:
3 chalotas
40 g de manteiga
1 e 1/2 litros de mexilhão
2 copos de vinho branco
450 g de natas frescas

Acabamento:
3 cebolas
1 ramo de salsa picada
Sal e pimenta moída

MODO DE PREPARO

 Descascar as chalotas e cortá-las em fatias finas antes de as alourar em manteiga durante alguns minutos na frigideira. Adicionar os mexilhões, o vinho branco e deixar cozer mais 5 minutos mexendo. Retirar a concha dos mexilhões e colocá-los de lado.
Recuperar à água de cozedura filtrando-a através de passador fino. Colocá-la num tacho e juntar as natas frescas e depois aquecer em lume médio e deixar cozer durante cerca de 5 minutos. Colocar sal e pimenta a gosto.
Pré-aquecer o forno a 220 °C (term. 7-8). Colocar as trutas num prato umas ao lado das outras. Descascar e cortar as cebolas em fatias finas antes de as colocar sobre o peixe. Adicionar os mexilhões e depois cobrir com o molho de natas.
Colocar no forno durante cerca de quinze minutos, o tempo de cozedura das trutas, e polvilhar com salsa picada antes de servir.

Acompanhamento proposto: batas a vapor e arroz perfumado, por exemplo, basmati.
Vinho aconselhado: um branco seco de Touraine, como o Touraine-mesland, ou um Vouvray com aromas mais complexos.
A truta à normanda Full View

INGREDIETNES

1 cabrito pequeno cortado em pedaços
2 cabeças de alho
Cebolas a gosto
5 cravinhos-da-Índia
Louro
Salsa
1 litro de vinho branco
Lascas de toucinho
Azeite

MODO DE PREPARO

Na véspera, faz-se uma misura com alho amassado, sal e pimentão e tempere com ela o cabrito. No dia seguinte, cobre-se o fundo de uma assadeira com cebola cortada em rodelas grossas e coloca-se por cima o cabrito. Rega-se com vinho e juntam-se os restantes ingredientes. Por cima do cabrito colocam-se as lascas de toucinho. Leva-se a assar, de preferência em forno de lenha. Pode acompanhar com batatas assadas em quartos.

Vinho Recomendado: Quinta da Falorca Reserva Tinto
Cabrito assado no forno Full View




Na década de 1920 os empregados fabris não tinham tempo para fazer sopa e então substituíram-na por estes pastéis, uma vez que despendiam muito tempo a confeccioná-los, aguentando durante várias semanas, o que não sucede com a sopa.
Este Pastel seco é feito com massa folhada cortada em tirinhas, que se enrolam em forma de espiral, dobrando uma das pontas do pastel para rechear com carne de vaca refogada.
O Pastel de Molho era e continua a ser servido com molho de açafrão. Prepara-se da seguinte forma: põe-se água a ferver com sal, vinagre, açafrão e um ramo de salsa; coloca-se o Pastel num prato, deitando o caldo por cima, tapa-se com outro prato e aguarda-se um pouco (para “abrir”); o Pastel de Molho “abre”, fortalecendo a refeição.
O Pastel de Molho é composto por uma massa de margarina ou banha de porco, sal, farinha e recheado com carne guisada (cebola, louro e sal).
Para além de poder ser servido com molho de açafrão ou chá preto, pode ainda ser comido apenas como Pastel.


Ingredientes:
Para 10 pastéis

Para a massa
1 xícara de água
2 ovos
500 g de farinha
250 g de rilada ou de margarina para folhados
sal

Para o recheio
500 g de carne de vaca
1 cebola
2 colheres de sopa de azeite
sal
pimenta

Para o caldo e por pessoa
300 ml de água
1 colher de sopa de vinagre
sal
3 pés de salsa
alguns fios de açafrão

Confecção:

Bate-se muito bem a água com os ovos e um pouco de sal.
Em seguida vai-se adicionando a farinha a pouco e pouco, trabalhando a mistura.
Quando se obtiver uma massa que se solte da tigela, tira-se para a pedra da mesa e trabalha-se muito bem.
Amassa-se à mão a gordura (rilada derretida ou a margarina) e divide-se em três partes.
Estende-se a massa com o rolo e a ajuda de farinha e espalha-se por cima uma terça parte da gordura.
Enrola-se.
Estende-se o rolo de massa e cobre-se novamente com terço da gordura.
Volta a enrolar-se a massa e a estender-se e a espalhar-se a gordura que resta.
Estende-se e enrola-se a massa mais duas vezes sem gordura.
Em seguida, com uma faca bem afiada e molhada em água, corta-se o rolo de massa em rodelas grossas.
Untam-se estas rodelas com um pouco de azeite e espalmam-se com o rolo.
Dispõe-se uma colher de recheio numa das bordas da rodela e dobra-se de modo a cobrir o recheio.
Levam-se a cozer em forno forte num tabuleiro untado, ficando a ponta dobrada em contacto com o tabuleiro.
Depois de frios, guardam-se os pastéis em caixas de folha forradas com papel vegetal.
Na altura de servir, leva-se ao lume a água com o vinagre, o açafrão, a salsa e sal e deixa-se ferver até estar bem amarelo.
Coloca-se um pastel em cada prato e rega-se com o caldo a ferver, depois de se ter retirado a salsa .
Tapa-se um pouco para o pastel abrir, e serve-se.

Recheio: Coze-se a carne e passa-se pela a máquina.
Pica-se uma cebola muito finamente e aloura-se com o azeite.
Junta-se a carne picada, deixa-se refogar um pouco e tempera-se com sal e pimenta.


Vinho Recomendado: Piornos Tinto Reserva 2006 (AC Covilhã)




Pastel de molho Full View

INGREDIENTES:

2 postas de bacalhau demolhado
2 colheres das de sopa de farinha de trigo
2 ovos
2 colheres das de sopa de água

MODO DE PREPARO

Misturam-se os ovos com a água e a farinha. Depois, junta-se o bacalhau desfiado e mexe-se tudo muito bem. Leva-se a fritar em pequenas quantidades( cerca de 1 colher de sopa de massa por cada patanisca).
Para fritar dos dois lados viram-se as pataniscas durante a confecção.  As pataniscas servem-se acompanhadas de arroz de tomate .

Dica: Acrescente cebola e salsa picadas antes de fritar.
Pataniscas de Bacalhau Full View

INGREDIENTES

1 lata de leite condensado cozido por 15 minutos na pressão
3 gemas
2 colheres das de sopa de açúcar
3 colheres das de sopa de vinho do Porto
3 claras em neve


MODO DE PREPARO

Bata as gemas com o açúcar até clarear, junte o leite condensado cozido e bata bem. Acrescente o vinho do porto e tire da batedeira, misture delicadamente as claras em neve. Distribua em taças e leve à geladeira até a hora de servir.

Dica: Decore com fatias de figo em calda.
Baba de camelo Full View

INGREDIENTES

5 batatas grandes
2 dentes de alho
3 colheres das de sopa de manteiga em temperatura ambiente
1 e 1/4 de xícara das de chá de leite
1 xícara das de chá de creme de leite
Sal, pimenta-do-reino e noz-moscada a gosto


MODO DE PREPARO

Corte um dente de alho ao meio e outro em cubinhos. Reserve. Esfregue as metades do dente de alho em um refratário e unte-o com uma colher das de sopa de manteiga. Reserve. Em uma tigela, misture o leite, o creme de leite, o alho picado, o sal, a pimenta, a noz-moscada e a manteiga restante. Descasque as batatas e corte-as em fatias finas. Junte-as à mistura de leite e leve ao fogo baixo, mexendo de vez em quando. Cozinhe por três minutos. Com uma escumadeira, transfira as batatas para o refratário preparado, dispondo-as em camadas. Regue com o leite e cubra com papel-alumínio. Asse em forno médio por 30 minutos. Retire o papel-alumínio e deixe dourar a superfície.
Batata gratinada Full View

INGREDIENTES:

2 chuchus limpos e cortados ao meio pelo comprimento
2 xícaras das de chá de caldo de galinha
3 colheres das de sopa de óleo
300 g de carne moída
100 g de presunto cozido moído
1 colher das de sopa de molho inglês
1 colher das de sopa de mostarda
4 biscoitos cream cracker moídos
2 colheres das de sopa de manteiga


MODO DE PREPARO:

Numa panela, coloque o chuchu e o caldo de galinha. Tampe e leve ao fogo médio por 25 minutos ou até ficar macio. Escorra e reserve. Em outra panela, ponha o óleo e leve ao fogo alto até aquecer. Misture a carne com o presunto, junte o molho inglês e a mostarda. Cozinhe, mexendo às vezes, por dez minutos ou até a carne ficar macia. Disponha o chuchu num refratário e retire um pouco do miolo, fazendo uma cavidade no centro de cada metade. Pique o miolo e acrescente-o à carne refogada. Recheie o chuchu com a mistura de carne. Aqueça o forno em temperatura alta. Numa tigela, misture o biscoito moído com a manteiga e polvilhe sobre o recheio. Cubra com papel-alumínio e leve ao forno por 15 minutos. Sirva a seguir.
Chuchu recheado Full View

INGREDIENTES

8 sobre coxas de frango
3 xícaras das de chá de grão de bico cozidos mas firme
1 folha de louro
1 alho poro picado
Azeite de oliva
1 colher das de sopa de alho picado
1 cebola picada
2 xícaras das de chá de abóbora cortada em cubos
Sal
Pimenta
1 litro de caldo de galinha
2 colheres das de chá de páprica doce

MODO DE PREPARO

Em uma panela aqueça o azeite e frite as sobre coxas de frango ate estarem douradas. Junte o alho, o louro, a cebola e refogue bem. Adicione o alho poro e a páprica. Junte o caldo de galinha fervente. Acrescente o grão de bico. Tempere com sal e a pimenta. Tampe a panela e deixe cozinhar por 10 minutos ou ate o frango estar quase cozido. Junte a abóbora e cozinhe por mais 10 minutos. Sirva com arroz branco.
Cozido gaúcho Full View

INGREDIENTES

2 xícaras das de chá de arroz
1 cebola
1 colher das de sopa de manteiga
2 latas de cerveja preta
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Salsinha a gosto


MODO DE PREPARO

Deixe a cerveja na temperatura ambiente. Lave o arroz em água corrente e espere todo o excesso de água escorrer. Corte a cebola em cubinhos e aqueça a manteiga. Junte a cebola e refogue-a até ficar transparente. Adicione o arroz e frite até começar a pegar no fundo da panela. Junte a cerveja, mexa e tempere com o sal e a pimenta. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe até o arroz ficar macio. Se necessário, junte mais água quente. Retire do fogo e sirva imediatamente polvilhado com salsinha ou com a erva fresca de sua preferência.

Dica: Sirva esse arroz acompanhado de carne assada.
Arroz com cerveja Full View

INGREDIENTES

100 g de cereja glaçada
10 figos secos
2 fatias de abacaxi glaçado, cortadas em seis pedaços cada uma
1/2 xícara das de chá de nozes
12 damascos
6 pedaços de laranja glaçada (100g), cortados ao meio
100 g de tâmara sem semente
6 ameixas pretas secas sem caroço
300 g de cobertura chocolate ao leite


MODO DE PREPARO

Espete as frutas em palitos pequenos e reserve. Pique o Chocolate e derreta-o seguindo as indicações da embalagem. Mergulhe as frutas no chocolate derretido, cobrindo-as até a metade. Escorra o excesso, ajeite em uma bandeja coberta com papel-alumínio e leve à geladeira por alguns minutos, para secar. Forre uma meia esfera de isopor com papel-alumínio e espete as frutas depois de secas. Ponha o arranjo sobre um prato ou numa cesta de vime.

Dicas:
- Pode-se também adicionar castanhas picadas sobre o chocolate, antes de secar.
- Se preferir, disponha as frutas em bonitas caixas forradas com papel celofane. Nesse caso, os palitos podem ser retirados previamente.
Arranjo de frutas secas Full View

INGREDIENTES

200 g de ricota
1 xícara das de chá de azeitonas pretas picada
1/2 lata de creme de leite
1 colher das de chá de tempero em pó tipo fondor


MODO DE PREPARO

Bata no liqüidificador a ricota com as azeitonas, o creme de leite e o tempero em pó tipo fondorPonha em cumbucas, cubra e leve para gelar até a hora de servir. Decore com folhas de salsa. Sirva com torradas
Patê de azeitona Full View

INGREDIENTES

Caldo de suã
2 kg de suã de porco
60 ml de azeite
40 g de alho
120 g de cebola
80 g de talos de salsa
100 g de cenoura picada
3 e 1/2 litro de água
30 g pimenta do reino esmagada
Sal
3 folha de louro
10 g de pimenta calabresa

Arroz caldoso
70 g bacon
60 g alho
100 g cebola
180 g cenoura
180 g feijão fradinho cozido
180 g brócolis cozido
600 g arroz arbóreo
2 e 1/2 litro de caldo de suã
800 g lingüiça mineira
200 g queijo canastra meia cura em cubinhos
Salsinha a gosto
80 ml de azeite
2 maços mostarda mineira em tiras


MODO DE PREPARO

Caldo de suã
Tempere a suã com sal, pimenta do reino esmagada e pimenta calabresa. Em uma panela refogue em azeite a suã até começar a dourar. Junte todos os elementos aromáticos e deixar muchar bem. Molhe com água de pouco a pouco até completar 3,5 litros. Cozinhe lentamente, coe e retire a carne da suã. Reserve.

Arroz caldaloso
Refogue em uma frigideira bacon, alho, cebola e cenoura. Tempere e cozinhe lentamente pingando o caldo de suã. Quando estiver ao dente, junte o feijão, salteie e retifique tempero. Refogue em azeite os brócolis picados em pequenos pedaços e tempere. Em uma panela, refogue em azeite a cebola, o alho e o arroz. Quando começar a ficar transparente, junte parte do caldo de suã quente. Deixe cozinhar o arroz mexendo para não agarrar no fundo da panela. Adicione o restante do caldo à medida que precisar. Quando estiver bem ao dente, junte 1/3 da lingüiça picada, a cenoura, o brócolis e parte da carne da suã. No momento de servir, junte o queijo canastra, a salsinha e retifique o tempero. O arroz deve ficar bem suculento e sem liga. Finalizar com fio de azeite. Coloque no centro do prato o arroz, a mostarda refogada no centro e as lâminas de lingüiça por cima. Caso queira um arroz mais suculento sirva em prato fundo.
Risoto com lingüiça mineira Full View

INGREDIENTES

2 xícaras das de chá de arroz
1 colher das de chá de sal
3 xícaras das de chá de água
1 colher das de sopa de manteiga
6 bananas
2 ovos batidos
Óleo para fritar
farinha de rosca para empanar.

Molho:
1 colher das de sopa de azeite
1 cebola picada
1 tablete de caldo de carne
1/2 xícara das de chá de água fervente
2 tomates picados
3 colheres das de sopa de cheiro-verde picado
Sal e pimenta-do-reino a gosto


MODO DE PREPARO

Ponha na panela de pressão o arroz, o sal e a água. Tampe a panela e deixe cozinhar por 4 minutos. Desligue o fogo e espere terminar a pressão. Abra a panela, verifique se o arroz está macio e escorra o excesso de água. Junte a manteiga e mexa bem. Transfira o arroz para uma fôrma de buraco no meio untada e aperte bem com a colher. Reserve aquecido. Se o arroz estiver duro, devolva a panela ao fogo por mais 2 minutos.

Molho
Aqueça o azeite e doure a cebola. Adicione o caldo de carne dissolvido na água fervente e junte o tomate, o cheiro-verde, o sal e a pimenta. Deixe ferver e engrossar. Corte as bananas ao meio no sentido do comprimento. Passe-as no ovo batido e na farinha de rosca e frite-as no óleo quente. Desenforme o arroz em uma travessa de servir, cubra com o molho bem quente e disponha as bananas fritas.

Dica: Ganhe mais sabor e prepare o arroz com caldo de legumes.
Arroz com banana Full View

INGREDIENTES

1 e 1/2 kg de costela bovina
1 kg de batatas descascadas e cozidas (mas firmes)
2 cebolas médias cortadas em gomos
2 dentes de alho picados
1/4 xícara das de chá de óleo
Cheiro-verde, sal e pimenta-do-reino a gosto


MODO DE PREPARO

Tempere a costela com sal, pimenta-do-reino e alho. Em uma assadeira coloque a costela, a cebola, o óleo e cubra com papel alumínio. Leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 50 minutos ou até a carne ficar macia. Retire o papel, acrescente as batatas e deixe dourar, por cerca de 25 minutos. Sirva a seguir.
Assado de costelas e batatas Full View

INGREDIENTES

Massa
4 ovos
2 e 1/2 xícaras das de chá de leite (500ml)
1 e 1/2 xícara das de chá de farinha de trigo
1 colher das de sopa de fermento químico em pó
1 pacote de creme de cebola

Recheio
3 colheres das de sopa de óleo
1 cebola , picada
1 peito de frango , cortado em tirinhas finas
3 tomates sem pele e sem sementes, picados
1 lata grande de palmito, picado (300 g)
2 colheres das de sopa de farinha de trigo
1 tablete de caldo de galinha
1/2 xícara das de chá de azeitona verde picada
1 ovo cozido, picado
1 colher das de sopa de salsa picada


MODO DE PREPARO

Massa
Bata no liquidificador os ovos, o leite, a farinha de trigo, o fermento e o creme de cebola. Coloque metade da massa em uma assadeira retangular (22 x 28cm) untada com margarina ou manteiga e polvilhada com farinha de trigo. Espalhe o recheio e cubra com o restante da massa. Leve ao forno médio-alto (200ºC), preaquecido, por cerca de 40 minutos. Sirva quente ou fria, acompanhada de uma salada de folhas variadas e tomates cereja.

Recheio
Aqueça o óleo e refogue a cebola; junte o frango e deixe dourar. Acrescente os tomates o palmito e refogue mais um pouco, até que os tomates se desmanchem. Polvilhe a farinha de trigo, adicione o caldo, meia xícara das de chá de água fervente e mexa até obter um creme. Retire do fogo e acrescente as azeitonas, o ovo cozido e a salsa. Reserve.
Torta de frango e palmito Full View

INGREDIENTES

1 pote iogurte natural integral
1/2 xícara das de chá de leite
1 colher das de sopa de maisena (amido de milho)
1/2 xícara das de chá de adoçante granular
1/2 colher das de chá de essência de baunilha
3 tangerinas
6 fatias de bolo pronto de laranja


MODO DE PREPARO

Numa panela misture bem os ingredientes (com exceção das tangerinas e do bolo) e leve ao fogo baixo até engrossar. Reserve esse creme. Descasque e retire a pele e as sementes das tangerinas. Pique o bolo. Em taças, coloque um pouco de bolo, cubra com o creme e com os gomos de tangerina. Repita as camadas e decore com um gomo de tangerina aberto. Leve à geladeira por cerca de 2 horas. Sirva
Taça de tangerina Full View

Followers

Google+ Followers

HOME | ABOUT

Copyright © 2011 igvarekai | Powered by BLOGGER | Template by 54BLOGGER